O perigo do cerol (Alan no Vrummm)

Linha de pipa com o material cortante traz riscos para quem circula sobre duas rodas. Saiba como se proteger.

Por: Marília Parente – Diario de Pernambuco

Publicação: 26/02/2015 10:11 Atualização: 26/02/2015 10:29

Mesmo de capacete, Alan Teixeira foi atingido no pescoço e outra vez na perna e hoje pilota com receio (Ricardo Fernandes/DP/D.A Press)
Mesmo de capacete, Alan Teixeira foi atingido no pescoço e outra vez na perna e hoje pilota com receio

Há um ano, o autônomo Alan Teixeira pilota com medo. Da primeira vez em que acidentou com linha chilena, o motociclista sentiu o barbante em sua garganta enquanto trafegava na PE 0-15. “Minha reação foi tentar tirá-lo com a mão porque o fio engancha no pescoço. Puxei bem rápido, mas como nem pensei em parar a moto, ele voltou para lá. Acho que a parte que pegou em mim não estava com cerol, porque meu pescoço ficou vermelho, mas não sangrou”, conta. Com a viseira aberta, o capacete de Alan não impediu que o material inutilizasse seus óculos. “Por muito pouco não atingiu meus olhos”, comenta. As feridas no pescoço e no dedo médio cicatrizaram com os meses. Ficou o receio. “Eu já andava assombrado quando passei por dois garotos empinando pipas. Eles deixaram o rolo com a linha deslizar até o asfalto, em direção à minha moto. Tentei chutar, mas a linha ficou presa na minha calça. O cerol tinha me cortado de novo, na canela”, conta.
No final de 2013, o vereador Eduardo Chera (SDD) propôs um projeto de lei que proíbe, no Recife, o uso de cerol ou qualquer outro material cortante nas linhas de pipa. O infrator seria penalizado com multa de R$ 300 a R$ 2.500, que não o eximiria de responsabilidades civis e penais, caso houvessem danos à pessoa física, ao patrimônio público e à propriedade privada. Apesar de já vigorar em cidades como João Pessoa (PB) e Fortaleza (CE), por aqui, a proibição segue em tramitação. Para Maxwell Fonseca, consultor de trânsito e motociclista do Twister Motoclube, grupo conhecido pelas ações educativas voltadas a quem dirige sobre duas rodas, a questão do cerol deveria ser mais discutida no âmbito educacional do que penal. “A maioria das pessoas que brinca com pipa são crianças, de modo que não faz sentido puni-las. É preciso promover ações educativas, que mostrem-lhes que a brincadeira pode ser muito perigosa. Entre si, os motociclistas já iniciaram uma campanha nacional, chamada Cerol Não”, opina.

Ricardo Maurício instalou a antena após sofrer um corte profundo no pescoço (Guilherme Verissimo/Esp DP/DA Press)
Ricardo Maurício instalou a antena após sofrer um corte profundo no pescoço

O professor Ricardo Maurício, que teve o pescoço cortado por um barbante na BR-101 Sul, discorda em parte. “Acho sim que é mais uma questão de conscientização, as crianças que brincam com pipa não querem matar alguém. Mas o cerol funciona como uma arma porque corta como uma navalha. Seu uso deve ser impedido”, coloca. Motociclista, ele conta que trafegava a cerca de 60 km/h e não viu a linha. “No trânsito, você precisa prestar atenção a muita coisa ao mesmo tempo, de modo que um fio branco é quase invisível. Fiquei apavorado quando senti o ardor. Meu médico disse que escapei por muito pouco, não só pela profundidade do corte, mas porque perdi muito sangue”. “Paranoico”- em suas palavras- desde o acidente, Ricardo atribui a gravidade do ferimento à ausência da antena em sua moto. “Depois do incidente, comprei o equipamento. Muita gente não põe porque acha que ele atrapalha a visão, mas você se acostuma rapidinho”, garante.

De acordo com Maxwell Fonseca, apenas frentistas e mototaxistas são obrigados a instalar a antena capaz de cortar a linha das pipas. “A maior parte das pessoas vitimadas se acidenta em rodovias movimentadas, em finais de semana. Instalar esse material é fundamental para qualquer motociclista”, afirma. Para quem não se sentir completamente seguro só com a antena, a pescoceira anticerol é uma boa pedida. “Esse equipamento envolve o pescoço com uma estrutura metálica, que a linha não consegue passar”, coloca Maxwell. Na internet, os preços da pescoceira partem de R$ 64.

Saiba onde encontrar antena anticerol no Recife:

Moto CruzRetrátil: R$ 16,50
Fixa: R$ 7,50
Instalação: gratuita

Endereço: Rua Passo da Pátria, 383, São José
Telefone: (81) 3217-8444

SOS Motopeças

Retrátil: R$ 16

Fixa: R$ 10
Instalação: gratuita

Endereço: Avenida Herculano Bandeira, 520, Pina
Telefone: (81) 3037-1228

Dakar Moto Peças e Acessórios
Retrátil: R$ 11
Fixo: R$ 6
Instalação: não fazem

Endereço: Rua Real da Torre, 1060-A, Madalena
Telefone: (81) 3125-1007

MATÉRIA:
http://diariodepernambuco.vrum.com.br/app/noticia/noticias/2015/02/26/interna_noticias,49008/o-perigo-do-cerol.shtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *